Monday, August 21, 2017

It`s an outlier!

Ouvido no balcão da praia.



- Os pais, agora, até põem os filhos na catequese.
- Pois é. Fazem tudo para não ter de os aturar.

It`s an outlier!

Uma actividade moderna (de elite).





A elite extractiva, especialista em virar a página, tergiversa e assobia, ao ouvir falar de assuntos difíceis. A sua acção não serve o futuro, não visa servir o futuro, o bem comum.
O arrimo curto das suas práticas visa, no essencial, assegurar a manutenção do que existe.

A elite extractiva, inaudível, encontra-se um pouco por toda a parte. Na política, na cultura, no desporto, nas empresas, nas organizações, na academia. Dos recursos que detém, há um que importa destacar: o conhecimento. As elites conhecem coisas. Hoje (como ontem), conhecem-se. Partilham lugares de classe, códigos de linguagem, números de telemóvel, mesas de restaurante, práticas, segredos.

Há um segredo particular que dominam, que partilham: os esconderijos onde é possível concretizar a actividade que constitui, em si, garantia de proveito seguro. Esta actividade não foi ainda cabalmente escrutinada pela ciência. Tem já, na ausência de outras possíveis, uma designação técnica: arrear o calhau no ar. Trata-se de uma actividade de proveniência, protagonistas e conteúdo difuso. A sua génese, de localização imprecisa, a ausência de pé posto em terra firme, confere-lhe leveza, discrição, desprendimento.

É, neste sentido, uma actividade moderna. Contará com múltiplos intérpretes, cujos interesses se realizam longe, em lugares escolhidos, lugares próprios, assim ditos, para alçar-a-perna. Trata-se de uma prática comum em múltiplos domínios, imorredoura, que hoje (como ontem) beneficia a ventilação da organização capitalista. A escolha dos incluídos, a manutenção do status quo (a escolha de quem escolhe, de quem pode escolher). 

O produto gerado por esta prática, por vezes, assenta. E gera efeitos, consequências visíveis. A fabricação súbita de ídolos, de novos deuses, de notícias. De interesses, de preferências, de "histórias de sucesso".  Do que é natural, do que é, do que deve ser tido por normal. A escolha de quem deve ser incluído na fotografia do regimento. 

Alguém vê o produto, despojo aparentemente esquecido, e pergunta o que é aquilo.
É um bocadinho de défice - ouve-se. Alguém escreve sobre aquilo. Alguém fala sobre aquilo. Alguém opina sobre aquilo. A elite praticante, incólume, assobia ao longe, faz um pouco de vento. Manda fazer um pouco de vento. Ou seja, alça de novo a perna, colocando de novo em prática o seu segredo, visando o mesmo efeito, as mesmas consequências.






Self-disclosure.

Um grande desígnio (CII).





(é meu. é meu. é meu.
é meu. é meu. é meu.
é meu. é meu. é meu.
é meu. é meu. é meu.
é meu. é meu. é meu.
é meu. é meu. é meu.
é meu. é meu. é meu.
é meu. é meu. é meu.
é meu. é meu. é meu.
é meu. é meu. é meu.
é meu. é meu. é meu.
é meu. é meu. é meu.
é meu. é meu. é meu.
é meu. é meu. é meu.
é meu. é meu. é meu.
é meu. é meu. é meu.
e isto? é meeeu.)

Friday, August 18, 2017

Self-disclosure.

Lavar o alguidar dos sonhos na ribeira de odeceixe.





na ribeira de odeceixe,

estou mais próximo de ser um corpo
chego sempre onde penso
mergulho de cabeça.


na ribeira de odeceixe,

invento uma moda em desuso
uma ideia de osso
uma ideia de gente
tomo o pulso ao regaço poente.

na ribeira de odeceixe,

olho os pés os pés o umbigo
assobio depois um pouco de tristeza.


e os sonhos pintam-se de fresco.



Friday, August 11, 2017

It`s an outlier!

Mitose.



às cinco e cinco da manhã,
os jovens
regressam dos seus divertimentos.

às cinco e cinco da manhã,
os jovens
que regressam,
brincam com as suas sombras,
com as suas calças slim,
com as suas meias
que já foram pretas.

às cinco e cinco da manhã,
os jovens
que regressam,
vastos, efusivos,
são células,
células que se dividem.

Palavras de Cotrim.

Assuntos fiscais.



Ontem, partilhei uma fila com o secretário de estado dos assuntos fiscais.

Seguia à sua frente. A fila era eu e ele, o secretário de estado.
Eu levava duas garrafas para oferecer ao meu pai, ele levava três garrafas para oferecer a um amigo. Quando preparava o pagamento em espécie, perguntaram-me se pretendia factura. Hesitei, por momentos, em relação ao que deveria dizer.
Dizer que não, como me ocorria. Dizer que sim, por recear um descalabro de consequências. Disse que não - e ouviu-se.

Olhei o secretário de estado, antecipando, ali mesmo, a ocorrência de um assunto fiscal.
O secretário de estado olhava o dono da loja. Disse-lhe que queria levar também um grande grande whisky.

Thursday, August 10, 2017

It`s an outlier!

Seguir sozinho.





Seguir sozinho por vezes anima.
Permite que se imaginem histórias pelo caminho.

Self-disclosure.

Um profissional do desencontro.





tenho por vezes a impressão
que sou habitado por alguém
com quem estou ainda longe de chegar a acordo

It`s an outlier!

Descafeinado.






À nossa volta,
há quase tantos mortos
como aparenta haver vivos.

Gente de vontade débil,
que um dia morreu e não disse nada,
por discrição, por preguiça.

Andam depois por aí,
meticulosos,
a pedir descafeinados,

a meter a ponta do estilo verbal

nas ranhuras da sua perda.

Palavras de Cotrim.

Certeza.




A coisa certa que somos,
faz-se outra com o tempo que avança.

Monday, August 07, 2017

Self-disclosure.

Uma grande razão (XIII).




(foste no outro dia pela primeira vez à festa.
na festa, fomos ver os cavalinhos, os autarcas e a simara.

vimos também tractores e um senhor parecido com o paco bandeira.

na festa, andaste com a mãe no marsúpio.
no marsúpio, comeste um pedacinho de pão que te deu que fazer
até depois das dez e meia.)

Thursday, August 03, 2017

Self-disclosure.

Um grande desígnio (CI).




(um pão de bico.
um pão de bico com fiambre.
não - um pão de bico cortado ao meio.
um croquete.
outro croquete.
não - é muito.
uma água.
uma água das pedras.
não é dessas, é das outras.

uma maçã.
não - uma pera.
e uma banana.
uma bolacha.
outra bolacha.
não é dessas - é daquelas, é das outras.

são muitos, cada vez mais,
os nomes que os teus lanches vão dando às facturas.)